domingo, 30 de outubro de 2011

Preocupação

"Dependendo do contexto, palavras traduzidas por "cuidado", "preocupações" ou "temor" e "ansiedade" podem revelar tanto atitudes corretas quanto erradas na vida de um cristão. O sentimento de temor é correto como uma postura de reverência a Deus em virtude de sua santidade (Isaías 8.13); o cuidado é positivo por ser um gesto que demonstra preocupação com os outros (1 Coríntios 12.25; 2 Coríntios 11;28).
No entanto, preocupar-se é uma conduta sempre errada, pois paralisa a fé ativa na vida da pessoa. Ao nos preocuparmos, assumimos responsabilidades que não foram dirigidas a nós. Jesus, repetidamente, ensinou: "não se preocupe" (do gr, merimneó, lit. "dividir a mente"), mesmo em relação às coisas básicas da vida (Mateus 6.25-34). A preocupação divide a mente entre pensamentos úteis e fúteis. Preocupar-se não altera absolutamente nada (Mateus 6.27); serve apenas para desviar o nosso olhar das coisas de Deus e da fidelidade e justiça divinas. Ao invés disso, desviamos nossa atenção para as coisas da vida, como bens materiais, por exemplo (Mateus 6.31). A preocupação sufoca e constitui um sentimento destruidor, que corrói nossa energia e tenta elevar a força humana acima da força de Deus e dos planos divinos.
Fontes de preocupação incluem mudanças, falta de entendimento e falta de controle de nossa vida. A preocupação abre a porta para as coisas do mundo, que são as preocupações com as coisas da vida. Embora os filhos de Israel tenham visto Deus abrir o mar Vermelho para libertá-los do Egito, eles não creram que ele providenciaria água no deserto para suprir as necessidades deles. A preocupação é oposto da fé, e o ato de preocupar-se sugere que Deus não é digno de confiança para cuidar da nossa vida e suprir nossas necessidades (Filipenses 4.19). A preocupação provoca o medo, que exclui a fé. Portanto, no juízo final, os "covardes" estarão ao lado dos incrédulos" (Apocalipse 21.8).
Ao associarem preocupação com descrença, as Escrituras providenciam retorno à fé completa. O caminho que vai da preocupação à fé começa com o reconhecimento do pecado e a confissão de falta de fé (Salmo 139.23), continua com a libertação (Salmo 34.4) e termina com a segurança de que absolutamente nada pode separar você do amor de Deus, que é o grande "Eu sou" (Romanos 8.35; Êxodo 3.14015). No lugar de ansiedade, devemos oferecer ações de graça livrevemente, com o coração restabelecido e confiante em Deus (Salmo 112.7-8; Filipenses 4.6-7). "

FONTE: A Bíblia da mulher - leitura, devocinal, estudo. Barueri, SP: Sociedade Bíblia do Brasil; São Paulo: Mundo Cristão, 2003. p.1417

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Medo: Excluir Deus

"A admoestação para "não ter medo" é frequentemente repetida nas Escrituras. Medo é descrito como escravidão (Romanos 8.15), tormento (1 João 4.18) e cilada (Provérbios 29.25). Muitas vezes a frase "não te espantes" (literalmente "desesperar, entrar em pânico") segue a recomendação para "não temer".
As Escrituras oferecem uma longa lista de coisas com as quais os crentes não devem se preocupar:
- provisão (Mateus 6.25),
- inimigos (Deuteronômios 1.21),
- outros deuses (2 Reis 17.35),
- morte (Salmos 23.4),
- exércitos e guerras (Salmos 27.3),
- reputação (Salmos 71.24),
- dias maus (Salmos 49.5),
- filhos (Salmos 127.3),
- futuro (Salmos 139.1-6),
- pavor repentino (Provérbios 3.25-26),
- segurança (Mateus 10.28),
- eventos além dos eu controle (Mateus 8.26),
- saúde (2 Coríntios 12.7-10),
- ansiedade (Filipenses 4.6-7),
- ameaças dos outros (1 Pedro 3.14)
- e sofrimento (Apocalipse 2.10).
São oferecidas também razões para não ter medo:
- você é criação de Deus (Isaías 44.2);
- ele luta por você (Êxodo 14.13);
- você é amado (1 João 4.9);
- ele é seu auxílio (Hebreus 13.6);
- você é mais valioso do que os pardais (Lucas 12.7).
A razão mais citada é a presença de Deus (Gêneses 26.24; Deuteronômio 31.8; Romanos 8.15).
Você não precisa pedir a presença de Deus - ele está com você; você tem a palavra dele a esse respeito. Mas, muitas vezes, você precisa pedir a percepção da presença dele (Isaías 41.10,13). Essa percepção é quase sempre induzida pela recordação da fidelidade de Deus no passado (Deuteronômio 7.18-19). "

FONTE: A Bíblia da Mulher - Leitura - devocional - estudo. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil; São Paulo: Mundo Cristão, 2003. p. 698

Leia AQUI a Bíblia Sagrada.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Uma boa defesa contra a ofensa

Todos devemos poupar, continuamente, nosso coração contra a ofensa. Ninguém está livre da tentação de ficar ofendido e guardar rancor e sentimentos negativos. Por isso, um dos primeiros passos para se defender contra a ofensa é, simplesmente, perceber que ela acontecerá; as oportunidades de sucumbir a ela irão se fazer presentes para todos uma hora ou outra.
Uma vez compreendendo que as injúrias acontecerão, precisamos perguntar a nós mesmos o seguinte: "Temos uma defesa adequada para impedir o inimigo de ser vitorioso sobre nossa vida?".
Em qualquer competição esportiva, se você quiser realmente ganhar, precisará dispor de uma boa defesa. Pode ter um grande ataque, mas, se a fedesa for falha, não  ganhará muitos jogos.
Semelhantemente, se quiser ganhar na vida, precisará de uma boa defesa contra a afronta de Satanás.
A ofensa provém do diabo. Ela é a estratégia que irá impedi-lo de cumprir a vontade divina e, por fim, destruí-lo. Achamos que as ofensas provêm das pessoas - de um colega de trabalho ciumento, um comerciante suspeito ou, mesmo, nosso cônjuge ou amigo íntimo. Porém, a Bíblia declara: Porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade,  nos lugares celestiais (Ef 6.12).
Há muito tempo, temos considerado as pessoas - de carne e osso - como adversárias. No entanto, elas não são inimigas; Satanás é o inimigo. Certamente, muitos podem submeter-se ao maligno e causar dificuldades, mas a rais de nossos problemas é o diabo, e não o homem.
O fracasso na vida cristã pode, com frequência, ser atribuído a um dentre as duas causas: (1) A pessoa não entendeu quem era o seu inimigo; e (2) ela não compreendeu como seu adversário agiu.
Em qualquer campanha militar bem-sucedida - e, por certo, em qualquer competição esportiva -, primeiro, você precisa saber quem é o seu oponente! Segundo, é necessário saber como o adversário atua. Estudar as estratégias antigas do inimigo, bem como as manobras, irá colocá-lo em uma posição mais favorável.
Sabemos que Satanás utiliza a ofensa para vir contra nós e nos derrotar. Porém, o que acontece quando reconhecemos sua estratégia e o tiramos do caminho ao refutar a ofensa quando outros cometem alguma injustiça contra nós? Ele virá contra nós de alguma outra forma!
O objetivo de uma partida de futebol é jogar a bola para o campo de ataque a fim de marcar gol. Se estamos jogando a bola, espiritualmente falando, e Satanás não consegue impedir-nos ou derrubar-nos com uma ofensa ostensiva, ele recorrerá a um auxílio diferente - outra posição segura e, aparentemente, na defensiva - para tentar derrotar-nos antes de termos outra vitória.
Analisemos esssa ilustração na esfera espiritual. Se o maligno não pode impedir que você receba as bênçãos  de Deus por intermédio de uma pessoa que o ofenda, ele começará a procurar outro modo de roubá-lo e destruí-lo, se possível.
Por exemplo, (...) o diabo pode mandar uma pessoa ofendida atravessar o seu caminho, Quando ela contar a história dela, você ficará indignado e até mesmo injuriado por causa da magnitude da injustiça cometida contra ela. Antes de se dar conta, você já tomou para si a ofensa da pessoa! Reconheceu a estratégia do inimigo quando ele influenciou alguém para ofendê-lo pessoalmente, mas você perdoou ao ofensor. No entanto, caiu na segunda estratégia de defesa de Satanás e, agora, está sentindo-se mal porque outra pessoa foi machucada!
O diabo é inteligente o bastante para ter um plano reserva contra nós. Por essa causa, devemos estar espiritualmente atentos o suficiente para termos uma defesa sólida e contínua contra ele!

Construindo sua defesa

Uma das primeiras coisas que um técnico deve levar em consideração ao formar um time é como ele irá construir uma boa defesa.
Que tipo de "competidor" é necessário para resistir à ofensa quando ela vem? Em outras palavras, quais são as caractérísticas de um proeminente jogador de defesa habilidoso em acabar com os movimentos ofensivos de seu oponente?

Número um: ele permanece na Palavra continuamente

Já fizemos a leitura do Salmo 119.165, mas, agora, leremos o mesmo versículo na Nova Versão Internacional.

SALMO 119.165 (NVI)
165 - Os que amam a tua lei desfrutam paz, e nada há que os faça tropeçar.

A lei na época de Davi era a Lei de Deus como escrita no Pentateuco, ou o que conhecemos como os Cinco Livros da Bíblia. Assim, esse versículo fala sobre amar a Palavra do Altíssimo. Quando você A ama, nada pode fazê-lo tropeçar e cair. Nada!

SALMO 119.11,105
11 - Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.
105 - Lâmpada para os meus pés é tua palavra e luz, para o meu caminho.

A Escritura é luz para o nosso caminho. Com ela no coração, podemos ver aonde estamos indo; assim, não tropeçaremos. Outro versículo do Livro de Salmos diz: Porque em ti está o manancial da vida; na tua luz veremos a luz (Sl 36.9). Quando mantemos a Palavra firme em nós, não só podemos ver aonde estamos indo, comot ambém reconhecemos a ofensa quando essa nos alcança.
A afronta tem a finalidade de roubar a Palavra de nosso ser, porém, se formos diligentes em poupar nosso coração e mantê-lo sólido, a Escritura renderá frutos e não haverá nada que o inimigo ou qualquer pessoa poderá fazer!

Número dois: apresenta o fruto do Espírito

Desenvolver o fruto do Espírito irá fortificá-lo de modo a possuir a defesa contra a ofensa de Satanás.

GÁLATAS 5.22, 23
22 - Mas o fruto do Espírito é: caridade, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
23 - Contra essas coisas não há lei.

A última frase dessa passagem diz: Contra essas coisas [contra o fruto do Espírito] não há lei. Ao andar no fruto do Espírito, você está manifestando os frutos da justiça, ou as características de Deus. Você não será dominado facilmente quando a tentação de pecar surgir em seu caminho. Outra maneira de dizer isso é: quando o Altíssimo, que habita em você, está no controle do seu viver, Satanás não pode assumir a direção! Você teria de renunciar sua posição para que o diabo tomasse conta da sua vida e o fizesse tropeçar.
Como falei anteriormente, meu pai era conhecido como um homem q ue caminhava no amor divino tanto quanto com fé em Deus. Ele desenvolveu muito o fruto do Espírito. Com frequência, as pessoas comentavam a respeito de como meu pai era longânimo, declarando: "Nem uma coisa sequer consegue deixá-lo aborrecido".
Papai tinha um amor tremendo pela palavra do Senhor e pelas questões divinas. Todas as vezes que ele recebia mais luz sobre algun assunto, era rápido em segui-la. Essa é a razão pela qual nunca tropeçou devido à ofensa.

Número três: escolhe seus companheiros de equipe com sabedoria

Até agora, vimos duas características da pessoa que construiu uma boa defesa contra a ofensa de Satanás: (1) permanece continuamente na Palavra; (2) apresenta o fruto do Espírito.
Agora, veremos a terceira característica do hábil "zagueiro": escolhe seus companheiros com sabedoria.
Anteriormente, lemos os seguintes versículos: Não se deixem enganar: "As más companhias corrompem os bons costumes" (1 Co 15.33 - NVI); Aquele que anda com os sábios será cada vez mais sábio, mas o companheiro dos tolos acabará mal (Pv 13.20 - NVI).
Essas são apenas duas das muitas passagens que poderíamos citar, as quais falam a respeito desse assunto diretamente, ou dão exemplos nos quais vemos que a escolha de amizades erradas dificultou a caminhada espiritual de alguém, bem como sua obediência a Deus. A Bíblia é clara: nossas companhias irão influenciar-nos para o bem ou o mal. Você pode questionar ou se sair bem até "que o Reino venha", mas, de qualquer maneira, isso é real! Por ser a Palavra de Deus eterna e irrefutavelmente verdadeira, a declaração do Senhor que somos influenciados pelas nossas companhias é correta. É simples assim!
Já observou, alguma vez, a tendência das pessoas de se tornarem como aquelas com quem se socializam regularmente? Isso não acontece em um dia, uma semana ou um mês, mas, com o passar do tempo, nós nos tornamos parecidos com aqueles do nosso convívio. Por isso, muitos de nós, quando jovens, éramos repreendidos pelos pais, professores ou responsáveis: "Escolha muito bem os seus amigos".
Ora, quando falo sobre ser influenciado por uma pessoa de sua convivência, refiro-me a adquirir certos aspectos do seu caráter e mesmo algumas de suas opiniões e seus pontos de vista. Não há problema se a outra pessoa ama o Senhor e baseia toda a sua vida na Palavra de Deus. No entanto, não é bom, de modo algum, se é rebelde e pensa como o mundo, mesmo se ela afirma ser cristã!
Suponhamos, por um momento, que você tenha feito um novo amigo, com quem gosta de passar o tempo. Porém, depois de um período, começa a perceber que ele tem uma atitude amarga em relação aos ministros do Evangelho, por exemplo, ou não gosta de, certas denominações e nunca tem nada de bom para falar a respeito deles.
Você nota, então, que seu novo "amigo" é crítico a respeito dos outros e parece ofendido com muitas pessoas. Mas você tenta olhar além de tudo isso por causa dos interesses comuns compartilhados com ele. Chega até mesmo a pensar que você pode ter alguma influência positiva sobre esse indivíduo. Então, continua com essa amizade.
Todavia, ao longo do tempo, pouco a pouco, você começa a ter os mesmos pensamentos amargo sobre os quais ouviu seu "amigo" falar inúmeras vezes e, então, desenvolve uma atitude intolerante e crítica perante os outros cristãos que não têm o mesmo pensamento que o seu. Devido a essa nova amizade, fica tentado a declarar como seu inimigo pessoal quem você perdoara no passado. Sua vida dura é quase sempre negativa, e, para completar as coisas, quando alguém lhe mostra tudo isso em amor e mansidão, você se torna hostil e ofendido com a pessoa.
O pior de tudo é que você se sente sem fé, e os assuntos pelos quais está orando ou deixam de ser importantes ou começam a desistir das respostas da oração, porque perdeu sua base espiritual, bem como sua capacidade de perseverar.
Por que tudo isso acontece? Você fracassou em escolher seus "colegas de equipe" com sabedoria, e a "companhia ruim" que insistiu em manter corrompeu sua mente, suas emoções e atitudes.
Satanás tem penetrado em muitas igrejas porque as pessoas têm falhado na escolha de suas companhias com sabedoria. Por exemplo, ao selecionar aqueles que trabalharão em uma equipe, tal como a de voluntários da sua igreja, é importante deixar a ofensa de fora, ou o inimigo poderá devastar toda a congregação.
Algumas pessoas ofendem-se quando não são selecionadas para serem voluntárias na igreja. Por exemplo, talvez, elas tenham feito inscrição para serem participantes do coral, mas não cantem bem! Então, o líder do coro ou o ministro de música gentilmente as incentiva a se colocarem a disposição para outras posições ou áreas da igreja, e elas ficam bravas e magoadas.
Mais do que ter desejo de servir em determinada área do ministério, é preciso que a pessoa também esteja qualificada. Se ela não estiver desse modo, em vez de ficar ofendida, precisa calar-se diante de Deus e perceber onde deve servir.
Uma corporação não pode preencher vagas com pessoas que não estão qualificadas para ocupá-las. Fazer isso não só aferaria a ética dentro da organização, como também geraria uma catástrofe financeira para toda a empresa. Então, por que muitos acham que a liderança da igreja deve dirigi-la com um grau inferior de excelência e profissionalismo?
Há quem fique ressentido quando não recebe uma promoção ou um aumento do qual achava ser merecedor. Percebo que as pessoas podem cometer erros e os merecedores podem passar verdadeiramente despercebidos e ser negligenciados no trabalho. Entratanto, a ofensa não é a forma de lidar com a situação! Na verdade, ficar ofendido é um sinal contundente de que eles devem estar naquelas posições. Os que se magoam e começam a contar o ocorrido para todos com quem se deparam, provavelmente, nunca chegarão à liderança, pois fofoqueiros não são bons jogadores, tampouco bons líderes.
Como pastor, tenho notado que aqueles que começam a frequentar uma nova igreja porque se ressentiram em sua congregação antiga, no fim, irão ofender-se! Se examinar a história delas, provavelmente, haverá mudanças de igreja para igreja. Elas nunca se estabelecem em lugar algum nem se tornam membros fiéis e úteis na congregação local.
Os cristãos fundamentados na Palavra não estarão bem em um dia, quando as circunstâncias forem favoráveis, e mal no dia seguinte, quando elas foram contrárias. Eles não amarão seus irmãos em um dia e irão amaldiçoá-los no outro!
Tenho visto pessoas agirem dessa maneira na casa do Senhor, no trabalho e nos relacionamentos. Sua vida é o retrato da instabilidade. Elas não conseguem estabelecer-se porque estão sempre se ofendendo com alguma coisa ou alguém. Em todos os lugares aonde vão, encontram os mesmos problemas, pois nunca trataram a questão da ofensa na vida delas. O ciclo jamais acabará até enxergarem a luz e decidirem colocar um fim nisso, dizendo: "Chega!".
Não é importante apenas escolher seus companheiros de equipe com sabedoria, como é relevante também ser o companheiro certo. Não existe nenhum de nós que não tenha de ser repreendido de vez em quando sobre como estamos ou não nos comportando. Se realmente quisermos, podemos dizer a nós mesmos que nos endireitemos como ninguém mais é capaz de fazer!

Número quatro: mantém uma consciência limpa

A quarta característica de habilidoso "zagueiro" é manter uma consciência limpa.

ATOS 24.16
16 - Paulo disse: "Sendo assim [falando acerca da ressurreição dos mortos], eu sempre luto para ter a consciência livre das ofensas perante Deus e os homens".

ATOS 24.16 (NVI)
16 - Por isso, procuro sempre conservar minha consciência limpa diante de Deus e dos homens.

ATOS 24.16 (Ampliada)
16 - Portanto, eu sempre exercito e disciplino a mim mesmo [mortificando o meu corpo, sublimando meus desejos carnais, as vontades do corpo e os desejos mundanos, esforçando-me em todos os aspectos] para ter uma consciência limpa [inabalável e inculpável], livre de ofensas perante Deus e os homens.

Devido à convicção de Paulo quanto à ressurreição vindoura, ele disse que se esforçava a fim de manter sua consciência limpa diante de Deus e dos homens. O apóstolo mantinha sua carne, diligentemente, sob o controle do espírito, disciplinando a si mesmo de acordo com os assuntos espirituais.
Da mesma maneira que paulo, podemos desenvolver-nos a reconhecer e evitar aquilo que nos faz pecar e aflige o coração do Senhor. É possível chegarmos a um lugar onde escutaremos algo profano, como uma fofoca ou uma calúnia, e um "alarme" soará em nosso espírito, alertando-nos a não ouvir tais coisas.
Muitas aeronaves são equipadas com sistemas de navegação que avisam o piloto autormaticamente se a nave estiver muito perto de outro objeto. Alguns aviões contêm dispositivos que transmitirão a seguinte gravação: "Levantar! Levantar!", caso o piloto esteja voando na zona de perigo de um desses objetos. Quando o avião está aterrissando, o sistema transmitirá as distâncias periódicas do céu para a terra durante toda a descida da aeronave. Mesmo quando ela está muito alta para o piloto ver onde está aterrissando, ele sabe exatamente onde está em relação ao solo.
Quase da mesma maneira, quando você treinar a si mesmo na Palavra para ser sensível espiritualmente, seu espírito começará a falar com você caso chegue muito perto de pecar - ou errar o alvo! A voz da sua consciência irá alertá-lo, dando-lhe o sinal de que o perigo está logo adiante. Se uma pessoa lhe disser algo a que você não deve dar ouvidos, sua consciência saberá e irá protegê-lo. Mesmo se você começar a dizer alguma coisa indevida, a voz irá avisar-lhe que deve ficar calado.
Em resumo, a quem constrói, com êxito, uma boa defesa contra a ofensa que acontecerá inevitavelmente em seu caminho faz, consistentemente, as seguintes coisas:
1. Permanece na Palavra continuamente.
2. Apresenta o fruto do Espírito.
3. Escolhe seus companheiros de equipe com sabedoria.
4. Mantém uma consciência limpa.
O inimigo sabe que, enquanto você estiver na Palavra, será frutífero, renderá glórias a Deus, e ele não conseguirá tocar-lhe! Então, qual é o "plano de jogo" que ele preparou para distraí-lo do objetivo estabelecido diante de você? Silenciar a Palavra em seu coração para que Ela não seja mais eficaz.  talvez, Satanás tenha um jogo dentre as suas artimanhas denominado Operação Ofensa. É possível! Mas sei que a afronta é uma de suas maléficas estratégias articuladas contra a criação divina, o homem - e especialmente contra aqueles que foram recriados por Deus em Cristo Jesus.
Devemos manter-nos sempre firmes na Palavra, se quisermos ser bem-sucedidos. Precisamos também perceber que, todos os dias, teremos oportunidades para decidir se seguiresmo com a Escritura ou com as circunstâncias contrárias. Caso nos posicionemos ao lado das condições da vida, nossa fé será destruída. No entanto, se nos colocarmos ao lado da Palavra, seremos sustentados em nossa fé, e esta não enfraquecerá.
O texto de Tiago 4.7 declara: Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Quando nos rendemos à ofensa, entregamo-nos à influência do inimigo, e, por certo, ele não fugirá. Pelo contrário, nós é que fugiremos.
Porém, se construirmos uma boa defesa, resistindo à injúria e refutando-a, iremos render-nos à influência divina. E a Bíblia diz que, sempre que fizermos isso, o diabo fugirá.

FONTE: HAGIN, Kenneth W. Evite a Armadilha da ofensa. Rio de Janeiro: Graça. 2009. p. 111-128

domingo, 14 de agosto de 2011

Carta de Satanás

"Ontem eu te vi quando começava o seu dia. Acordou e nem sequer orou ao seu Deus. Ou melhor, durante todo o dia você não orou, e nem lembrou de abençoar sua comida. Você é muito ingrato para com o seu Deus, e isso em você me agrada muito. Eu também gosto da enorme fraqueza que sempre demonstra no que diz respeito ao seu crescimento espiritual, em ser um cristão.
Raramente lê a Bíblia e quando faz está cansado. Não medita no que lê, ora quase nada, além disso, muitas vezes diz palavras que não analisa. Por qualquer pretexto chega tarde ou falta ao seu culto de ensino. E o que falar de suas murmurações?
Temos assistido muitos filmes juntos, sem falar nas vezes que fomos juntos ao teatro. Lembra daquele dia da tua fraqueza com aquela linda pessoa? Oh como foi bom!
Mas o que mais me agrada é que você não se arrepende. E que sabe que é jovem e tem que aproveitar a vida, pensa só na carne e acredita que precisa ser salvo para a eternidade. Não há duvida você é um dos meus.
Amo as piadas vergonhosas que você conta e que também escuta. Você ri delas, eu também rio de ver um filho de Deus participando disto. O fato é que nos sentimos bem. A música vulgar e de duplo sentido que você escuta me agrada demais. Como você sabe quais são os grupos que eu gosto de escutar? Também adoro quando murmura e se revolta contra o seu Deus.
Sinto-me feliz quando vejo você dançando e fazendo estes movimentos sensuais, eles me fascinam. Como isso me agrada!!! Você quer se encontrar comigo qualquer dia destes???
Certamente quando você está se divertindo saudavelmente, fico triste, mas sem problema, sempre haverá outra oportunidade.
Tem vezes que me faz coisas incríveis, quando dá mau exemplo as crianças ou quando as autoriza para perderem a sua inocência através da televisão, músicas ou coisas do gênero. Eles são tão espertos que imitam facilmente tudo o vêem. Muito obrigado.
O que mais me agrada é que poucas vezes tenho que te tentar, quase sempre cai por conta própria. Você busca os melhores momentos, se expõe as situações perigosas, me dando lugar!
Se tivesse cabeça mudaria de ambiente e de companhias; buscaria a palavra de Deus e entregaria realmente a tua vida aquele que você chama de Deus e, ainda mais, viveria o resto de seus anos sob a orientação do Espírito Santo.
Não tenho costume de enviar este tipo de mensagem, mas você é tão acomodado espiritualmente que não acredito que vá mudar nada.
Não me entenda mal, eu te odeio e não te dou a mínima. Se eu te busco é porque você me satisfaz com as tuas atitudes e faz Jesus Cristo cair em ridículo.

Assinado: Teu inimigo que te odeia: Satanás (ou como queira me chamar).

(P.S. Se realmente me amas, não mostre à ninguém mais esta carta.)

FONTE: Internet.

sábado, 13 de agosto de 2011

Passando por provas e dificuldades

"Ali devolverei a ela [Israel] as suas vinhas, e farei do vale de Açor [dificuldade] uma porta de esperança. Ali ela me responderá como nos dias de sua infância, como no dia em que saiu do Egito". Oséias 2.15 - NVI.

A terra do Egito, de onde os israelitas foram libertos, é um tipo de pecado para nós que vivemos debaixo da Nova Aliança. Quando aceitou Jesus Cristo como Salvador, você também "saiu do Egito" - da escravidão do pecado. Desde então, talvez tenha vagado pelo deseto, por assim dizer, preocupado com as provações e dificuldades da vida, sem esperança de um futuro melhor.
Sabemos que Deus não nos conduz às provas e dificuldades, mas elas vêm para todos nós uma vez ou outra. Jesus afirmou: No mundo tereis aflições (Jo 16.33b). No mesmo versículo, porém, Ele também retrucou: Mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.
O Senhor quer tirar-nos do deserto e fazer do vale da dificuldade uma porta de esperança! A Palavra revela que, sob a Antiga Aliança, Deus tirou os israelitas do Egito como ovelhas e os guiou pelo deserto, como quem faz com um rebanho (Sl 78.52). O Pastor, que tirou com segurança os israelitas do Egito e conduziu-os no final para sua Terra Prometida, é o mesmo, a mesma Esperança eterna, que guia bondosamente o Seu rebanho nos dias de hoje.
No texto de Oseias 2.14, Deus declarou que falaria ao coração do Seu povo no deserto. Por meio da Sua Palavra, Ele ainda está falando ao Seu povo hoje. Você pode sentir como se estivesse passando por um túnel escuro, por causa das provações e dos problemas que o incomodam, mas há luz no fundo do túnel! O Criador está dizendo: "Não tema. Siga-me, simplesmente, e confie em mim. pode parecer escuro, mas Eu conheço o caminho. Irei guiá-lo e conduzi-lo para uma saída".
À medida que você caminhar obedientemente com o Senhor, passo a passo, Sua Verdade será uma lâmpada para os seus pés e luz para o caminho (Sl 119.105). Se confiar na infalível Palavra, então, até em meio aos obstáculos, Ele irá guardá-lo em segurança por veredas de delícias e de paz, que o levam à vitória (Pv 3.17).
Você vai apossar-se da esperança colocada à sua frente pela Palavra de Deus? A Bíblia diz: Graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo (2 Co 2.14a). Por meio da fé na Sua Palavra e da obediência a Ela, o Pai pode fazer do seu vale de dificuldades uma porta de esperança e expectativa. Ele pode tirá-lo do seu túnel escuro de problemas e levá-lo a um lugar espaçoso, onde ricas bênçãos aguardam por você. Ele irá conduzi-lo da provação ao triunfo!

FONTE: HAGIN, Kenneth W. Do coração de um pastor. Rio de Janeiro: Graça, 2009. p. 123-124

sábado, 6 de agosto de 2011

Crianças intercessoras na Índia

Lindo vídeo. Abaixo dele está sua transcrição - caso tenha algum visitante que não entenda português ou inglês, poderá ler após clicar na tradução do blog =)


Esta é uma história da missão “Brotherhood”, Índia.
Uma missão com 8000 crianças em ministério chamadas de “intocáveis”.
Estas crianças estão trazendo seus pais ao Senhor.
Fazendo caminhadas de oração diariamente em seus bairros, plantando igrejas e mudando comunidades, cidades e nações por meio da oração e intercessão.
Uma história da Índia.

Rev. E. Anton Cruz: Em 1987, algo aconteceu que mudou a minha vida, minha direção e meu ministério. Eu era um sacerdote católico, um padre. Eu estava andando pela rua e duas crianças pequenas vieram até mim. Elas tinham 6 ou 7 anos de idade. Eu sabia que elas eram pedintes. “O que eu posso fazer por vocês?” Elas disseram: “Pode nos ajudar?” Eu disse: “Sim”. Então elas me levaram para um lugar a cinqüenta metros de distância, e uma das crianças se abaixou e pegou um pequeno bebê no chão e disse: “Este bebê não tem pai, não tem mãe e precisa de leite, está chorando e ele irá morrer. Você é um padre, você pode levá-lo para a igreja e dar-lhe leite”. Mas naquele dia, o bebê morreu em meus braços. Então aquilo foi muito forte para mim. Sabe, a palavra que aquela criança me disse ainda estava nos meus ouvidos. Então comecei a perguntar para Deus, tem alguma coisa, me diga o que o Senhor quer. Eu vi Jesus na minha frente dizendo: “Eu amo bebês, Eu amo crianças, Eu sou Pai para estas crianças. Eu quero que você vá às ruas e acolha meus bebês, acolha minhas crianças. Eu as amo. Minhas crianças sacudirão as nações, elas pregarão, curarão, trarão profecias, trarão mensagens, tudo a seu tempo certo. Vá.” Então aquela mensagem foi dada a mim. No começo as pessoas não acreditavam no meu ministério. Ainda mais se o ministério estivesse focado somente em intocáveis.

Jesintha Anton Cruz: Mesmo em nosso ministério, muitas crianças não têm pai, grande parte não tem mãe. Então nós temos que amá-las, temos que orar por eles. Elas também precisam de amor e carinho. O amor de Deus é muito importante.

Rev. E. Anton Cruz: Tudo o que nós fazemos está baseado na oração, amor e educação. Existem quatro classes na Índia. Classe alta, classe média, classe baixa e a quarta classe dos intocáveis. Por meio desse programa as crianças oram, elas plantam igrejas naquelas vilas e fazem um impacto na vizinhança. Todo centro de ensino se torna uma casa de oração. Para cada cinco casas de oração, uma se torna uma igreja. As crianças vêm para os centros de ensino para estudos e elas se tornam intercessoras. Então essas crianças começam a orar por suas famílias, vilas e vizinhos. Devagar, levando-os para Jesus. Estes pais têm oportunidade de virem ao Senhor. É um método muito bom: educação, oração e depois igreja. Por meio das crianças nós chegamos aos pais, e por meio dos pais nós chegamos as igrejas. Aqui tudo é por meio das crianças. É um tempo de mostrar amor às pessoas. Porque mesmo as minhas crianças podem atingir bons níveis após a faculdade e tudo o mais, mas este não é o nosso alvo. Nosso alvo é ter nessas crianças o coração de Jesus, compaixão, servindo a comunidade, servindo as crianças de rua, servindo ao pobre. Um dos métodos que nós conseguimos alcançar a comunidade: as crianças vão as ruas e oram pela vizinhança, e elas estendem as mãos em frente de cada casa e clamam: “Jesus, eu clamo esta casa para Ti”. E Deus fala e nós vemos milagres e corações transformados. O muro está quebrado, agora nós podemos construir a comunidade e fundar igrejas. O centro da oração cristã está focado em oração e mais na área religiosa

Este é o lugar que as crianças são ungidas e as “Crianças Reais” moram aqui. Elas oram vinte e quatro horas e recebem unção.

Rev. E. Anton Cruz: Nós temos uma rede de TV, pessoas ligam pedindo oração, e nós enviamos as orações para os centros de oração e para os centros de ensino. Está é a Rede de oração, assim as 8000 crianças podem orar todos os dias ao mesmo tempo

Criança: 10000 crianças oram por você diariamente.

Rev. E. Anton Cruz: Os corações dos filhos se voltarão aos pais. Os corações dos pais se voltarão aos filhos. Neste programa, as crianças pregam, oram, cantam, louvam, curam e profetizam. Apaixonadamente dois milhões de pessoas assistem a este programa.

Repórter: Você já viu sua filha na TV?
Mãe: Sim, toda a semana eu a vejo na TV.
Repórter: Qual parte que você gosta?
Mãe: Minha filha tem a presença de Deus nela. Quando ela pensa no passado, o sofrimento e a dor, ela ora pelas pessoas com dor.

Deepa Kalaiya: Eu tinha três anos quando eu vim para cá e eu vim de uma família de leprosos. Nós somos pessoas do tipo intocáveis. Deus tem nos levado para o lugar mais alto para procurar sua presença e O adorar. Deus tem me levantado para me usar para a glória Dele.

Rev. E. Anton Cruz: Depois do programa, as pessoas ligam de diversos lugares, diferentes nações pedindo oração. E as pessoas são curadas e suas orações são respondidas. Milhares e milhares de pessoas estão orando o tempo todo. Oração é capaz de tocas a comunidade.

Rev. E. Anton Cruz (com microfone): Quem vai chorar por esta geração? E ouvir esta nova geração dizendo que se colocarão na brecha, amém? É por isso que estamos levantando oito mil crianças agora. Estas oito mil crianças vão se colocar na brecha e orar pelas crianças, orar pelas famílias, orar por essa geração.

Rev. E. Anton Cruz: Nós temos a Conferência Internacional das Crianças Intercessoras todos os anos. Aproximadamente duas a três mil crianças participam. Nós trazemos as crianças do centro de ensino e de outros lugares e elas recebem a unção, elas recebem treinamento e voltam para as vilas e se tornam “Crianças Reais”

Rev. E. Anton Cruz (com microfone): Pessoas dizem que há muitos lixos e esses lixos devem ser jogados fora. Pegue e jogue o lixo, mas Deus diz: “Eu vou reconstruir”. Amém? Quebrados, rejeitados, jogados fora, meu Deus sabe disso. E você diz “eu sou um problema que meu Jesus gosta”.

Rev. E. Anton Cruz: Pessoas pensam nessas crianças como crianças da classe baixa, que têm que ser assim e que não têm muito o que dar. Mas a verdade é outra. Quando eu trago os pequeninos a frente, as pessoas podem aceitar com mais facilidade.

Criança: Oh Pai, Tu és o nosso papai. Eu oro por todos os pastores que te servem. Que haja avivamento em suas famílias.

M. Chadwick Samuel: As “Crianças Reais” oraram por mim e foi uma excelente experiência. Porque elas colocaram as mãos sobre mim e começaram a interceder e fizeram orações poderosas. E eu acredito que Deus está fazendo algo grande e poderoso em mim.

Rev. E. Anton Cruz: Estes são os mais fracos desse mundo. Pequenos, intocáveis e abandonados, mas Deus os está usando poderosamente. Até mesmos elas são capazes de ministrar aos líderes, pastores, grandes homens querem receber orações dessas crianças. As crianças oram dia e noite. Nós podemos ver as lágrimas destas crianças tocando os corações das pessoas. Nós não precisamos de técnicas para que as crianças toquem o coração do Pai. A maioria das crianças hoje não tem pai, elas estão nas ruas, elas podem facilmente tocar o coração do Pai.

Criança: Pai, tu é o pai dos órfãos, por favor traga conforto as crianças, Pai nós precisamos de Ti, ouça a minha oração Papai. Senhor, abençoe eles, Papai nós precisamos de Ti, precisamos de Ti, Pai! Abençoe e carregue todos os órfãos em Seus ombros.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Ingredientes para a intercessão bem-sucedida

"O amor divino, o ágape, é a maior condição prévia para a intercessão bem-sucedida. Se você é um filho de Deus, tem esse tipo de amor.

Romanos 5.5
5 [...] o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado.

Quando você nasce de novo, o Altíssimo torna-se o seu Pai. Ele é Deus de amor. Você é um filho do amor de um Deus de amor. Você é nascido de Deus, e Ele é amor; logo, você nasceu desse sentimento. A natureza de Deus é amor e ela está em você.
Assim, a Igreja é uma família de amor. Todos os membros têm amor; de outra forma, não fazem parte do Corpo de Cristo.
É possível que uns não estejam exercendo o amor. Talvez sejam como o homem do único talento, que o embrulhou em m lenço e o enterrou. A Bíblia, porém, declara que o amor de Deus foi derramado em nosso coração pelo Espírito Santo. Isto significa que foi derramado em nosso espírito. Nossa família é uma família de amor. Esse sentimento é a base de todas as atividades do Corpo de Cristo na Terra.

1 Tessalonicenses 4.9 (ARA)
9 No tocante ao amor fraternal, não  há necessidade de que eu vos escreva, porquanto vós mesmos estais por Deus instruídos que deveis amar-vos uns aos outros.

A lei do amor da família de Deus é:

João 13.34
34 Um novo mandamento vos doi: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.

Também somos ordenados a amar nossos inimigos:

Mateus 5.44,45
44 Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem,
45 para que sejais filhos do Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons e a chuva desça sobre justos e injustos.

Podemos amar nossos inimigos, bendizer os que nos maldizem, fazer bem aos que nos odeiam e orar pelos que nos maltratam e perseguem por causa do tipo do amor que o Pai nos concedeu.

I João 3.1a (ARA)
1 Vede quão grande amor nos tem condedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus.

Sua vontade e amor

O amor ágape, o amor de Deus, está submisso a Sua vontade. Se você nasceu de novo, esse sentimento está em seu espírito. Mas é você quem precisa exercer sua vontade para o pôr em prática. Você opta por liberar esse amor de dentro de você.
Podemos escolher amar todas as pessoas, mesmo nossos inimigos. Quase todos conseguem amar aqueles que os amam, mas a Bíblia nos manda amar os nossos inimigos.

"Optamos por amar todas as pessoas. Amamos como Deus ama. Isso envolve dar nossa vida pelo benefício da humanidade. Não se trata meramente de morrer fisicamente. Refere-se, principalmente, a estarmos dispostos a abrir mão da nosa vontade e de nossos desejos, e dedicar tempo à oração e intercessão por todos os homens. - Reidt"

Deus nos amou enquanto ainda éramos pecadores e enviou Cristo a fim de morrer em nosso lugar. Devemos amar da mesma maneira. Devemos aplicar nossa vida em favor da humanidade.
É aí que entra o sofrimento. É assim que participamos dos sofrimentos de Cristo. Não se sofre por Cristo quando se fica doente, com pneumonia, gripe, sarampo, ou câncer. Não é esse o sofrimento dEle. O Senhor não teve  sarampo, pneumonia nem lepra. Participamos dos Seus sofrimentos pela humanidade. Há dor e sacrifício quando você abre mão da sua própria vontade e vida, a fim de interceder pelos outros.

Compaixão

"O amor é a base de toda a vida cristã. A compaixão é um ingrediente do amor divino - Reidt".

Como sabemos disso? Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito (Jo 3.16a). E Jesus nos amou de tal maneira que Se sacrificou por nós. Em Seu ministério terrestre, repetidas vezes vemos manifesta a compaixão.
Ao atentarmos para essa maravilhosa verdade, lembremo-nos do que Jesus disse: Quem me vê a mim, vê o Pai (Jo 14.9b). Se você quiser ver Deus, olhe para Jesus. Ele é a vontade de Deus em ação. Jesus é o amor de Deus em prática. Em Seu ministério terreno, Cristo manifestou a compaixão que sente pelas pessoas.

Mateus 9.36-38
36 E, vendo a multidão, teve grande compaixão deles, porque andavam desgarrados e errantes como ovelhas que não têm pastor.
37 Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos são os ceifeiros.
38 Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande ceifeiros para a sua seara.

"Jesus tinha compaixão das pessoa, e nos pediu que compartilhássemos desse sentimento; ao orarmos, devíamos pedir que o Senhor da Seara enviasse trabalhadores para o campo. - Reidt"

Jesus Se compadeceu e curou os enfermos.

Mateus 14.14
14 E Jesus, saindo, viu uma grande multidão e, possuído de íntima compaixão para com ela, curou os seus enfermos.

A compaixão de Jesus levou-O a alimentar quatro mil homens, além de mulheres e crianças.

Mateus 15.32
32 E Jesus, chamando os seus discípulos, disse: Tenho compaixão da multidão, porque já está comigo há três dias e não tem o que comer, e não quero despedi-la em jejum, para que não desfaleça no caminho.

Em sua comapixão, Jesus curou os cegos.

Mateus 20.34
34 Então, Jesus, movido de íntima compaixão, tocou-lhes nos olhos, e logo viram; e eles o seguiram.

A comapixão do Senhor proporcionou a cura do leproso.

Marcos 1.40.41
40 E aproximou-se dele um leproso, que, rogando-lhe e pondo-se de joelhos diante dele, lhe dizia: Se queres, bem podes limpar-me.
41 E Jesus, movido de grande compaixão, estendeu a mão e tocou-o, e disse-lhe: Quero, sê limpo!

"Em sua comapixão, Jesus curou todos aqueles que Lhe pediram (Mc 6.56; Lc 6.19, Mt 4.23,24) Ao enviar os 12 apóstolos (Lc 9.1-6) e os 70 discípulos (Lc 10.1-19), Jesus os ensinou a compartilharem Sua compaixão. Ela devia continuar a ser praticada após Sua ascensão, pois o Senhor fes da cura um dos sinais para aquele que crê (Mc 16.16-18). A compaixão de Cristo continuou a ser demonstrada após Sua ascenção (At 5.15,16; 19.11,12; 28.8,9). Todas as vezes que Jesus ficou compadecido, houve libertação para as pessoas. A simpatia humana diz: 'Sei como você se sente, lamento muito'. A compaixão divina diz: 'Sei como você se sente', e liberta a pessoa. Jesus sentiu o mesmo que Maria e Marta, quando se agitou no espírito, comoveu-se e chorou (Jo 11.33-35 ARA). - Reidt".

João 11.33,35
33 Jesus, pois, quando a viu chorar e também chorando os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito e perturbou-se.
35 Jesus chorou.

A compaixão de Jesus sempre trouxe a libertação. Se a tivermos, acontecerá o mesmo.
Penso muito sobre as ocasiões em que temos tentado libertar as pessoas, mas sem ter a compaixão divina. É aí que entram a oração e a intercessão. Chorar com aqueles que choram traz libertação (Rm 12.15).
O Dr John G. Lake é conhecido pelo seu ministério, marcado com os ideais apostólicos. Ele realizou uma obra maravilhosa na África do Sul imediatamente após o início deste século.
Tantas curas foram realizadas no tabernáculo em Johannesburg que relatos a respeito chegaram aos líderes da nação. Algumas das autoridade supremas do governo pediram a ajuda dele em favor da esposa de um oficial do governo.
Quando Lake foi ao lar dela, viu que estava confinada à cama, com câncer incurável. Verificou que ela era cristã. Assim, ele começou a recitar textos bíblicos, a fim de ensiná-la a respeito da cura divina e ativar a fé da mulher.
Ela fez uma decisão no sentido de confiar em Deus para obter sua cura. Os médicos já não duvidavam de que ela estava para morrer, e apenas lhe davam analgesicos para maneizar as dores. Porém, a senhora resolver parar com todas as drogas. Ela disse: "Já que confio em Deus para me curar, entregarei todo meu caso à misericórdia dEle".
Lake contou: "Ela sofria com tantas dores, que um dos pastores da igreja e eu ficávamos ao lado de sua cama, orando 24 horas. Quando fazíamos isso, ela recebia alívio."
Certa manhã, depois de ter orado durante a noite inteira, Lake foi a sua residência somente para banhar-se e fazer a barba. Então, fez a caminhada de volta. Ele relatou que, quando estava a dois quarteirões da casa, ouvia-a gritando de dor. Ao ouvir aqueles gritos, parecia que, de alguma maneira, ele passou a sentir uma compaixão divina por aquela mulher.
É assim que se intercede. Lake passou a sentir os sofrimentos de jesus. Começou a sentir aquilo que o Senhor experimenta. porque Ele pode ser tocado com o que sentimentos quando estamos enfermos (Hb 4.15).
Lake disse: "Eu me vi correndo por aqueles dois últimos quarteirões sem sequer pensar no que fazia. Então, precipitei-me dentro do quarto dela, sentei-me à beira da cama, segurei o corpo debilitado dela nos meus braços como se fose um bebê, e comecei a chorar. Enquanto eu chorava, ela foi perfeitamente curada."
De algum modo, a compaixão de Jesus, o amor de Deus, conseguiu permear seu coração, seu espírito.
Os cristãos dedicados só poderão sentir compaixão íntima por alguém por meio de uma comunhão com Deus; não se consegue chegar por outro caminho. Não podemos ter comunhão com Deus; não podemos sentar-nos na presença do grande Deus do Universo sem que o Seu amor permeie o nosso ser, sem sentir Sua compaixão fluir para dentro de nós. Quando conseguirmos chegar a essa condição, poderemos fazer conforme disse Jesus:

João 14.12
12 Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estar, porque eu vou para meu Pai.

As obras que Jesus sempre fez nasceram do amor e da compaixão. As obras feitas pora queles que crêem nEle são conseqüência de compartilhares o ministério de amor e compaixão de Seu Mestre."


FONTE: HAGIN, Kenneth E. A arte da intercessão. Manual de como interceder. Rio de Janeiro: Graça, 2002. p. 47-54

sábado, 16 de julho de 2011

O dia em que a fé começa a rir

"A Palavra em foco: Romanos 9.7

Em Isaque [que no original, significa riso] será chamada a tua descendência (Rm 9.7). A fé é a grande herança, porque os justos viverão da fé (Rm 1.17). Minha fé pura, minha alegria segura (Rm 4).
Durante 25 anos, Abraão esperou que Deus cumprisse a Sua promessa de lhe dar um filho. Ele olhou para Deus que nunca falha, e creu na Sua Palavra. Quando nós vivemos no Espírito, vivemos no processo da mente de Deus, um ato de acoro com a Sua vontade.
Podia nascer uma criança? Sim! Com a fé no Deus que havia prometido. Aqui não há limitação. Portanto, é pela fé, para que seja segunda a graça (Rm 4.16). Graça é herana de Deus na alma que crê.
A fé traz sempre um fato, e um fato traz alegria. A fé que nos faz saber quem é Deus, e que Ele é o galardoador daqueles que diligentemente o buscam (veja Hb 11.6). Deus, o qual vivifica os mortos e chama as coisas que não são como se já fossem (Rm 4.17).
Não existe falta para aqueles que confiam em Deus. Ele vivifica os mortos. Quanto mais Abraão era pressionado, mais ele se rejubilava. Não sendo fraco na fé, ele não considerou as limitações do próprio corpo. Ele não ficou chocado pela incredulidade, mas era forte na fé, dando glória a Deus, porque o que Deus tinha prometido, era capaz de cumprir. Ele se tornou herdeiro do mundo por meio da justiça pela fé. Deus vivificou aquilo que estava morto.
Quanto menos esperança havia, mais Abraão cria na promessa. Se soubéssemos o valor da provação, louvaríamos a Deus por isso. É na fornalha da aflição que Deus nos leva ao lugar onde pode nos usar. Paulo fala da dificuldade: Nisso me regozijo e me regozijarei ainda. Porque sei que disto me resultará salvação, pela vossa oração e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. (Fl 1.18-20).
Antes de Deus permitir que você seja provado, Ele sabe o que você vai atravessar. nunca é acima do que podemos suportar. Se sabe que o batismo com o Espírito Santo está nas Escrituras, nunca descanse até que Deus O dê para você. Se sabe que é bíblico ser fortalecido nas provações, sendo santo, puro, vencedor em meio a todas as cricunstâncias, nunca descanse até ser um vencedor. Se viu a face de Deus e teve revelação, nunca descanse até realizá-la, até que você faça parte da Sua glória. Homens santos falaram conforme Deus lhes dava poder e expressão.
Devemos ser irrepreensíveis em meio às posições deformadas do mundo. Jesus foi do padrão de Deus, a primícia, revestido com poder. Nós devemos ir em Seu Nome, e quando impusermos as mãos nos doentes, Satanás não terá poder; quando ordenarmos em Nome de Jesus, que ele seja forçado a sair.
As muralhas estão caindo,
As muralhas estão caindo.
Oh, louve ao Senhor, louve o seu nome,
As muralhas estão caindo.
Tomemos a Palavra de Deus e nos firmemos nEla como a nossa força para resistir ao diabo, até que ele seja forçado a fugir. Amém.

Publicado originalmente como O riso da fé, em Redemption Tidings (Inglaterra), novembro de 1930, p. 1"

FONTE: O essencial de Smith Wigglesworth: mensagens selecionadas do evangelista Smith Wigglesworth de poderosas campanhas de avivamento ao redor do mundo / Editado por Wayne E. Warner e Joyce Lee; traduzido por Dra. Maria Eugênia da Silva Fernandes. - Rio de Janeiro: Graça, 2002. p. 329-331.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Você foi nomeado em um Testamento

"- Palavra em foco: 2 Pedro 1.1-8

Creio que o Senhor ficará muito satisfeito se lermos o primeiro capítulo da Segunda Epístola de Pedro, a fim de entendermos qual é a instrução do Senhor, com relação a esta passagem da Escritura.
Creio que o Senhor deseja que conheçamos a nossa herança. Você deve saber que ela existe e foi deixada para você.

Compreendendo a vontade do vosso Senhor
Há um testamento que foi deixado para o cristão. Aquele que o fez foi o nosso Senhor Jesus Cristo. Depois de morto, Ele ressuscitou para cumprir a Sua vontade. Então, passamos a ter tudo o que foi deixado para nós por Ele, toda a herança, as bênçãos, o poder, a vida e a vitória. Todas as promessas são nossas porque Jesus morreu e ressuscitou.
Porque Ele ressuscitou e é o nosso Sumo Sacerdote fiel, está aqui para nos ajudar a compreender a Palavra que lemos. Oro a Deus para que tenhamos um conhecimento claro do que Ele quer dizer-nos nesss dias, porque o Senhor nos chamou para grandes banquetes espirituais, e devemos ter sempre um bom apetite para participar deles.
É sério ir a um banquete do Senhor e ter um estômago anêmico, que nada pode receber. Devemos ter grande apetite pela Palavra, almas famistas e sedentas quando vamos à "mesa" do Senhor. Então, poderemos comer o que for servido para nós e seremos fortalecidos pela força do poder de Deus no homem interior. Que o Senhor nos leve aos Seus tesouros agora!
Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou por sua glória e virtude (2 Pe 1.3).
Descobriremos a principal porção da verdade na revelação de Cristo. Toda a plenitude está nEle. Toda a glória O circundam. Toda a virtude divina flui dEle. Deus está levando-nos para o lugar em que podemos compreender o que Ele quer dizer por tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou por sua glória e virtude.

A Virtude pode permanecer
Deus nos fez avançar passo a passo. Pimeiro, Ele nos mostrou a fé que nos foi dada. A seguir, o Senhor nos deu a segurança de que a fé em Cristo é o fundamento de todas as coisas. Agora, o Senhor quer revelar-nos como esta virtude pode permanecer em nós.
Paulo, no capítulo três de Efésios, discorre acerca da obra eficaz do poder de Deus, do Espírito Santo que, ao habitar em nós, enche nossos espírito, nossa alma e nosso corpo com vida, cirtude, graça, poder e fé. Não há limites. Ele é o executivo do Reino do céu. É o poder de cura que atua em nosso corpo quando nos abrimos para Ele.
Assim, Deus deseja que percebamos que devemos buscar esta vida de Deus em nós, o batismo com o Espírito Santo. Quero que você analise oq ue realmente significa recebê-lO. Nós nascemos de novo da Palavra incorruptível, que é Cristo. Ele vive e permanece para sempre. Nós nascemos de novo desse poder incorruptível. Devemos ter uma naturez divina a fim de compreendermos as coisas divinas. A nossa mente deve ser a mente de Cristo; até o nosso mover e choro interior devem estar de acordo com o plano divino, porque Deus veio para nos transformar à imagem de Seu Filho.
Assim como Jesus Se manifestou neste mundo, temos de nos manifestar; assim como Ele é, devemos ser. O que Deus projetou para o homem, devemos eincindicar agora: poder e bênçãos já! Deus, céu, glória e virtude já!
É o Espírito que opera em nós todos os planos divinos, a fim de que Ele nos edifique nos fundamentos da Palavra que vivifica, move e edifica mais alto com amor. Deus quer que subamos cada vez mais alto. Que possamos desejar uma visão celestial hoje, um toque de Jesus! Um toque da divindade, um raio de luz, um momento na presença dEle; um toque do infinito, tornar-nos poderosos em um momento, fazendo-nos ver todas as coisas como Deus as vê. É isso que Deus reserva para mim. Nunca devo parar, até alcançar aquilo que Ele tem para mim, porque preciso ser para os outros o que o Senhor espera que eu seja.

Deus tem um plano para você
Em Atos, há referência sobre alguns servos de Deus. A bíblia diz que Estêvão era homem cheio de fé e do Espírito Santo (At 6.5) e Barnabé era um homem de bem e cheio do Espírito Santo e de fé (At 11.24). Deus tem um plano e você pode fazer part dele apenas pela santidade. Parece haver um estado de pureza; um coração puro que vê Deus. Há um lugar santo, incontaminado, onde o impuro jamais colocará os pés. Mas Deus tem um caminho para lá; é o caminho da santidade. jesus pode levar-nos aquele lugar. Ele tem um anseio divino por conduzzir-nos para onde podemos ouvir Sua voz, ver a manifestação do seu poder, compreender o caminho e ter comunhão com Deus. Assim fluirá a virtude divina.
Existe uma vida que parece correta ao homem, mas, não é aquela vida que Deus quer para ele. Há uma outra existência que só pode ser dada e movida por Deus. Há uma virtude, uma unção, uma verdade.
Deus deve manifestar o Seu poder em nós até que tudo o que toquemos se mova pela unção de Deus. Paulo a conhecia. Os apóstolos também. Jesus falava desse poder. A mulher com fluzo de sangue sentiu, quando tocou nas orlas das vestes de Jesus (Mc 5.25-34). Essa unção pode ser transmitida; há uma forma desse poder fluir de um ser humano para outro. isto está em perfeita sintomia com as Escrituras, que remendam que imponhamos as mãos sobre os doenes, a fim de que eles sarem.

Mistérios do Evangelho
Existem verdades profundas reveladas no Evangelho de João. Algumas vezes, acho que não compreedemos, mas talvez Deus a tenha revelado para alguns de nós, assim, eu gostaria de compartilhar com você uma, em João 3: Na verdade, na verdade te digo que npos dizemos o que sabemos e testificamos o que vimos, e não aceitais o nosso testemunho. Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais? Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu  do céu, o Filho do Homem, que está no céu (Jo 3.11-13).
Nesse texto, Jesus colocou a seguinte questão: se Ele falava de coisas terrenas e muitas não as compreendiam, como poderia revelar as celestiais? Ele afirmou que o Filho do Homem que desceu e viveu entre os homens era o mesmo que estava no céu e voltaria para lá.
Atente para o fato de que a lâmpada elétrica exibe luz, porque tem um mecanismo receptor e transmissor da eletricidade. Na lâmpada elétrica, a energia é convertida em luminosidade, exibida através de filamento de metal desencapado, protegido por uma redoma de vidro.
Na glória, todo o poder de Deus está concentrado. Toda pessoa nascida de Deus recebe a vida dEle. Dentro do vaso humano está o esp´rito, o filamento descoberto, que exibe a revelação a iluminação divina. A fim de manter o cristão em perfeita comunhão com Deus, a unção está sempre sendo derramada. Ela desce; está embaixo iluminando o caminho, a energia, o poder é sempre o mesmo.
Assim é aquele que nasceu de novo. Ele é mantido vivo por um poder que não se pode ver, apenas sentir; um poder gerado na glória, que desce para o interior dos vasos humanos e é recebido de volta no trono de Deus. O tempo todo o cristão está recebendo e transmitindo essa unção; assim, quando paramos por um momento para impor nossas mãos sobre um necessitado, o sobrenatural age e gera vida. Existe manifestação do poder de Deus, da natureza divina. e há conhecimento perfeito na glória.
O Espírito Santo é o grande incentivador de todos nós. Ele recebe, despende e resplandece as maravilhas de Deus. Por isso, devemos buscar a manifestação gloriosa do Espírito; devemos estar unidos a Ele, a fim de sermos iluminados, transformados o tempo todo por este poder glorioso e regenerador do Espírito de Deus.
Que o Senhor nos abra a porta, para vermos que tal manifestação de vida e poder divinos é para todos os cristãos, até que não haja mais em nós esterilidade, e sim inclinação para fazer Sua perfeita vontade! Aleluia!
Isso é o que Deus projetou desde o começo. Não é novidade. Seu Espírito é tão antigo quanto Deus. Dura a eternidade. Nós estamos e estaremos com Ele para sempre. O Senhor nos cirou para o propósito de sermos filhos de Deus com poder, com promessas, com vida, para todo o mundo.
Não me diga que possuímos aplenitude do Espírito; esta é uma medida incomensurável. Vem em torrentes que não podemos conter. Quanto mais alegria os santos têm, mais requerem, mais desejam. O Espírito de Deus em você o faz ansiar pela plenitude. Louve o Seu Nome!

Publicado originalmente como Nossa herança em Triumphs of faith (Oakland, Califórnia), abril de 1923, pp. 75-78. Pregação no Glad Tidings Hall, São Francisco, Califórnia. Revisada e condensada."

FONTE: O essencial de Smith Wigglesworth: mensagens selecionadas do evangelista Smith Wigglesworth de poderosas campanhas de avivamento ao redor do mundo / Editado por Wayne E. Warner e Joyce Lee; traduzido por Dra. Maria Eugênia da Silva Fernandes. - Rio de Janeiro: Graça, 2002. p. 421-427

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Um arauto da santidade

"Conheça a história do pastor batista R. B. Jones, considerado um dos precursores do avivamento no País de Gales.

No início do século 20, o País de Gales - pequeno principado integrante do Reino Unido da Grã-Bretanha (menos que o estado brasileiro de Sergipe) - tinha cerca de 1 milhão de habitantes, os quais se dedicavam, em sua maioria, ao trabalho em minas de carvão e em metalírgicas. Havia muitas capelas e igrejas, e também não faltavam pregadores, como o pastor batista Rhys Bevan Jones, ou, simplesmente, R. B. Jones, como ficou conhecido. Seu nome foi escrito nos anais de seu país por estar entre os principais pessoas que, nos anos de 1904 e 1905, levaram àquele minisculo principado um dos maiores avivamentos da história da Igreja Cristã.
Nascido em 1869 na pequena cidade de Porth, no Sul do país, ele ingressou no ministério em 1893 e logo ganhou fama como pregador, uma vez que seus sermões eram meticulosamente preparados e retoricamente perfeitos. Durante seus discursos, Jones não descuidava sequer da entonação e da articulação correta de cada palavra de seu vasto vocabulário.
Cheio do Espírito - Entretanto, em 1903, o brilhante pregador começou a ficar inquieto, sentindo que algo faltava no ministério. Ele, então, confrontou seu conhecimento com a mensagem do movimento Holiness, o qual enfatizava a busca da santidade [significado do termo holiness] e o revestimento de poder do Alto. Nessa época, em carta endereçada a um amigo, R. B. Jones escreveu: Oh, quão grande é a necessidade de sermos cheios do Espírito Santo!
Como consequência dessa carta, foi agendada uma série de encontros entre ele, alguns pastores da região de Porth e o Rev. F. B. Meyer, um avivalista famoso na época. Jones saiu dessas reuniões ainda mais incomodado com o que ouvira e, por três semanas ininterruptas, lutou contra a necessidade de se render completamente ao Senhor para viver em santidade e ser cheio dEle. Até que, por fim, não mais resistindo, experimentou quebrantar-se diante do Pai, para, assim, ser revestido do poder do Espírito Santo.
Desde então, sua vida nnca mais foi a mesma, como ele próprio relatou, escrevendo a um amigo e parceiro de ministério: Finalmente, sou capaz de exercitar a fé simples e confiar nas promessas de Deus e em Sua verdade. Oh, quão doce é orar! Que livro maravilhoso a Bíblia se tornou! Antes, era uma coleção de textos, mas, agora, cada uma de suas palavras está carregada de uma mensagem direcionada a mim pessoalmente. [...] Em consequeência de minha rendição ao Senhor, sou dEle e Ele é meu. Simples assim. [...] Estou esperando por mais [...] Espero uma vida de total dependência do Senhor e de grande fidelidade à Sua vontade.
Santidade e poder - Algum tempo depois dessa experiência, em 1904, R. B. Jones iniciou uma viagem missionária ao Norte do país, especificamente, à cidade de Rhoslannerchrugog, iniciativa  que se tornou um dos estopins do histórico avivamente no País de Gales. A viagem durou apenas duas emanas, mas, em suas pregações, invariavelmente, ele insistia com os ouvintes que conquistava nas igrejas, praças ou nos bares a buscarem a santificação, com base no capítulo 6 de Isaías. uma testamunha ocular dessa campanha contou, mais tarde, que R. B. Jones era capaz de fazer da santidade algo tão real que, não raramente, as pessoas, tremendo, prostravam-se ao chão.
Os resultados da série de pregações do avivalista em Rhoslannerchrugog não foram um caso isolado: em todo país, poderosas mensagens sobre santidade e revestimento de poder eram proferidas em todos osl ugares, produzindo os mesmos efeitos. Além de Jones, vários foram os pregadores usados por Deus para acender a chama do avivamento naquele principado britânico, com destaque para o prórpio F. B. Meyer e o jovem Evan Roberts, um ex-mineiro, sem qualquer formação acadêmica, que acabou por se tornar o principal expoente do movimento.
Estima-se que em torno de cem mil pessoas tenham-se convertido apenas nos primeiros seis meses do avivamento, o que provocou drásticas transformações na vida de comunidades inteiras, com a redução de práticas criminosas e o fechamento de muitos bares por falta de frequência. Assim, famílias que antes passavam necessidades voltaram a ter a mesa farta, já que os homens não gastavam mais dinheiro com  bebida. As igrejas ficavam cheias de pessoas ávidas por orar e se derramar diante de Deus, em cultos que não tinham hora para terminar e podiam avançar pela noite e até pelo dia seuinte, sem que os participantes quisessem sair.
Mensagem do avivamento - Embora a "onda" do avivamento galês tenha diminuído sua intensidade por volta de 1905, os efeitos do que aconteceu no minúsculo principado foram percebidos nas colônias britânicas da Ásia e da África, em várias partes da Europa e, principalmente, nos Estados Unidos, mais notadamente na rua Azuza, na cidade de Los Angeles - berço do moderno movimento pentescostal. Em todos os luares aonde chegavam notícias do que acontecia no País de Gales, homens e mulheres sedentos pelo Senhor buscavam avivamento e eram batizados com o fogo do Espírito.
Apesar do declínio do movimento, o ministério de R. B. Jones continuou frutífero. Ele realizou inúmeras viagens missionárias, levando a mensagem do avivamento a todo o País de Gales até sua morte, em 1933, com 64 anos. Estudioso e defensor aguerrido da autoridade bíblica, ele se dedicou ao ministério pastoral, além de escrever sermões e livros, fundando, em 1919, o Instituo de Treinamento bíblico do Sul de gales, em Porth. Assim, Jones entrou para a História, não como um pregador retoricamente brilhante, mas como um homem cheio do Espírito Santo e de Seu poder."

FONTE: MIRANDA, Élidi. Um arauto da santidade. Revista Graça Show da Fé. ano 12. n. 143. p. 56 a 57.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

A doutrina de que Jesus é o único Salvador é intolerante!

"Resposta A: Foi Jesus quem disse ser o Salvador, não nós.
Resposta B: É intolerante para com os pecados, mas perdoador para com os pecadores. Jesus julga os pecados e perdoa os pecadores. Temos de fazer a mesma distinção e amar os pecadores enquanto odiamos o pecado. (Ademais, Deus nos prega somente o que Ele mesmo pratica. Ele não é um hipócrita cósmico!) Quando nos identificamos com nossos pecados, recusamos o arrependimento e nos grudamos ao nosso lixo espiritual. Então, quando o "caminhão de lixo" de Deus arrasta o nosso lixo para dentro do incinerador, somos queimados junto com ele.
Se existisse somente uma coisa que pudesse dissolver a cola entre nós e nossos pecados, ela seria considerada "intolerante": Essa é exatamente a natureza do mundo. Quando não gostamos, lutamos não contra uma ideologia, mas contra a própria realidade.
Resposta C: Você preferiria que Deus fosse totalmente "tolerante" e não julgasse os pecados? Você gostaria que a salvação significasse apenas salvação do castigo, e não libertação dos pecados? Gostaria que Deus tolerasse o pecado no céu também? Desejaria que todos carregassem seu lixo terreno para o céu, desde a guerra até o adultério ou o estupro? Você realmente preferiria um céu que precisasse de advogados e policiais?
A Inquisição confundiu o pecado com os pecadores, julgou e puniu a ambos. Os liberais cometem o mesmo erro quando não julgam ninguém. Mas, quem não julga o pecado não se importa com os pecadores. Quem não odeia o câncer, não ama o doente.
A distinção chave entre objetivo e subjetivo, mente e coração, verdade e amor justifica objetivamente a intolerância obstinada, sem sucumbir subjetivamente à dureza do coração. Entre as doutrinas "intransigentes" do cristianismo e seu amor compassico não existe contradição maior do que a existente entre as verdades objetivas da anatomia e a compaixão do cirurgião para com seu paciente."

FONTE: KREEFT, Peter. TACELLI, Ronald K. Manual de defesa da fé. Apologética cristã. Rio de Janeiro: Central Gospel, 2008. p. 516-517.

Deus é "masculino"?

"A controvérsia mais acalorada nos dias de hoje a respeito de Deus está relacionada ao uso tradicional e exclusivo do pronome Ele. Praticamente todos os cristãos admitem que: (1) Deus não é literalmente uma PEssoa do sexo masculino, uma vez que não tem corpo biológico, e que (2) as mulheres não são essencialmente inferiores aos homens.
Essas discussões apenas desviam nossa atenção do verdadeiro debate. Entretanto, há dois motivos para defendermos o uso exclusivo de pronomes masculinos para referir-nos a Deus e a caracterização masculina da divindade.
O primeiro motivo é que não temos autoridade para mudar os termos referentes a Deus utilizados por Cristo, pelos escritores da Bíblia e pela Igreja. A defesa tradicional de uma imagem masculina de Deus está apoada na premissa de que a Bíblia é a revelação divina (sem relatividade cultural, inegociável e imutável). Como disse C. S. Lewis: "Nós, cristãos, acreditamos que o próprio Deus nos mostrou como devemos falar a respeito dele".
O outro motivo para nos referirmos a Deus com pronomes masculinos é o histórico. Exceto pelo judaísmo, todas as outras religiões antigas têm deusas e deuses. A revelação judaica é distinta, por causa de sua compreensão a respeito da transcendência divina. Esse parece ser o principal motivo para a imagem masculina de Deus.
Imagine o seguinte: da mesma maneira que um homem penetra uma mulher para engravidá-la, Deus criou o universo fora de si, e enche nossa alma com graça e vida sobrenatural a partir dele mesmo, que existe fora de nós e fora do universo. Sendo assim, como uma mulher não pode engravidar a si própria, assim também o universo não poderia criar a si mesmo; tampouco a alma poderia auto-redirmir-se.
Com certeza, apesar das diferenças entre as três religiões abraâmicas (o judaísmo, o cristianismoe  o islamismo), existe um ponto de intercessão entre elas: 1) a visão singular de um Deus transcendente que criou a natureza a partir do nada, e 2) a recusa de chamar Deus de "ela", apesar de as Escrituras atribuírem ao Criador atributos femininos como o ato de mamamentar (Is 49.15), consolar (Is 66.13) e carregar um filho no ventre (Is 46.3).
O pronome masculino (ele) resguarda: (1) a transcendência de Deus, evitando a ilusão de que a natureza o originou, em vez de ter sido criada, e (2) a graça de Deus, evitando a ilusão de que, de algum modo, podemos salvar a nós mesmos [ou merecemos a salvação]. Em suma, evita dois erros sempre presentes e inevitáveis na história da religião".

FONTE: KREEFT, Peter. TACELLI, Ronald K. Manual de defesa da fé. Apologética cristã. Rio de Janeiro: Central Gospel, 2008. p. 147-148.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Vídeos - diferentes ministérios

Recomendo os vídeos disponíveis no site http://tv.joycemeyer.org/
Basta escolher o idioma e o título da mensagem. Recomendadíssimo.
Também há outros vídeos online AQUI no site em português do Ministério Joyce Meyer.

**************************************

Recentemente o site da Associação Vitória em Cristo passou por reformulação (que ficou muito melhor, diga-se de passagem), e há disponível também vários vídeos de pregações do Pastor Silas Malafaia. Vale a pena conferir AQUI. Também no site é possível acessar outras informações bastante pertinentes.

**************************************

A Comunidade Cristã de Curitiba também disponibiliza várias mensagens que podem ser escutadas online ou salvas em seu micro. Acesse AQUI.

**************************************

O programa Mudança de Vida da Igreja Mundial de Cristo  também está online AQUI. Os vídeos são renovados a cada semana.

**************************************

A Igreja Assembléia de Deus de Curitiba possui em seu site disponivel em vídeo as aulas da escola dominical. Basta acessar AQUI.

**************************************

O Missionário R. R. Soares disponibiliza uma série de mensagens entituladas Curso Fé. Também no site principal da IIGD é possivel acessar vários serviços e assistir online a RIT TV.

**************************************
Enfim amigos, tudo aqui são dicas de material de estudo. Lembrando que em absolutamente tudo em nossas vidas, sigamos 1 Tessalonicenses 5.21: "EXAMINAI TUDO. RETENDE O BEM."

domingo, 27 de março de 2011

sábado, 26 de março de 2011

Deus existe e é hora de buscá-lo

"Um homem foi ao barbeiro para cortar o cabelo como ele sempre fazia. Ele começou a conversar com o barbeiro e conversaram sobre vários assuntos. Conversa vai, conversa vem e disse:
-Eu não acredito que Deus exista; como você diz,
- Por que você diz isto? - o cliente perguntou,
- Bem, é muito simples. Você só precisa sair na rua para ver que Deus não existe. Se Deus existisse, você acha que existiriam crianças abandonadas? Se Deus existisse, não haveria dor ou sofrimento, Eu não consigo imaginar um Deus que permite todas essas coisas.
O cliente pensou por um momento, mas ele não quis dar uma resposta para prevenir uma discussão, o barbeiro terminou otrabalho e o cliente saiu.
Neste momento ele viu um homem na rua com barba e cabelos longos, parecia que já fazia um bom tempo que ele não cortava o cabelo ou fazia a barba e ele parecia sujo e arrepiado. Então o cliente voltou para a barbearia e disse ao barbeiro:
- Sabe de uma coisa? Barbeiros não existem.
- Como assim eles não existem? - perguntou o barbeiro - Eu estou aqui e eu sou um barbeiro!
- Não! - o cliente exclamou - Eles não existem, porque se eles existissem não existiriam pessoas com barba e cabelos longos como aquele homem que está andando ali na rua,
- Ah, mas barbeiros existem, o que acontece é que as pessoas não me procuram e isso é um aopção delas,
- Exatamente - afirmou o cliente. - É justamente isso, Deus existe, o que acontece e que as pessoas não o procuram, pois é uma oppção delas, e é por isso que ha tanta dor e sofrimento no mundo.

Autor desconhecido.

Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das cousas que foram criadas. (Romanos 1:20)
O que confia no Senhor esse é feliz! (Provérbios 16.20)

terça-feira, 22 de março de 2011

Obediência e Sacrifício vivo

"A obediência leva ao entendimento. o entendimento não leva à obediência. O entendimento da vontade de Deus não precede o compromisso de cumpri-la. Primeiro, acontece o comprometimento com o desejo divino; em seguida, o Pai começa a revelar, para a mente comprometida, o que Ele quer. Todos chegamos a um estágio em que temos de tomar uma decisão firme quanto a fazer a vontade de Deus. Não se pode dizer "se" ou "talvez", porque isso não é compromisso.
O segundo passo é sacrificar o próprio corpo. Para Jesus, realizar o querer do Pai terminou com o sacrifício na cruz. Ele soube disso quando decidiu obedecer ao Altíssimo. Pode ser surpreendente, mas as Escrituras deixam claro que também precisamos sacrificar o próprio corpo para fazer a vontade de Deus. Entretanto, há uma diferença. O sacrifício físico de Jesus significou a morte do corpo, mas o apóstolo Paulo diz-nos que sacrifiquemos nosso corpo vivo:
"Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional." romanos 12:1.
Na verdade, Deus diz para cada um de nós: "À luz de tudo o que Eu tenho feito na vida de vocês, o que quero em troca é que ofereçam seu corpo a mim como sacrifício vivo. Coloquem-no emmeu altar para que Me seja feito disponível sem restrições".
Quando alguém oferece ocorpo como sacrifício vivo a Deus, perde a propriedade sobre ele. Esse indivíduo não decide mais aonde ir, o que fazer, comer ou usar. O direito de tomar tais decisões foi delegado. Desse momento em diante, seu corpo pertece ao Senhor. Ele foi sacrificado a Deus, um corpo vivo, no altar do Pai.
Tudo o que for colocado no altar de Deus pertece a Ele, não mais ao doador. O Criador pede que nós, tal qual Jesus, sacrifiquemos nosso corpo. A diferença é que Cristo sacrificou Seu corpo por meio da morte, mas de nós é pedido o sacrifício vivo de nossa carne; devemos cedê-la a Deus e abrir mão de nossos direitos e nossas exigências sobre ela.
Pode parecer assustador, mas é muito empolgante. De alguma forma, imaginamos que, então acabaremos em alguma terra perdida, usando trapos e vivendo de pão e água, mas não é isso que o Todo-Poderoso tem em mente.
"Porque eu bem sei os pensamentos que penso de vós, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal. para vos dar o fim que esperais." Jeremias 29.11.
O Pai celeste tem todos os tipos de pensamentos sobre o que você deve fazer com sua vida e seu corpo, mas Ele não lhe dirá isso até que seu corpo Lhe pertença. Então, submeta-o a Deus; depois, receba o entendimento das coisas.
Após oferecer o corpo como sacrifício vivo, vamos ao próximo passo, que é a renovação da mente. Paulo descreve isso, com muita clareza, em Romanos:
"E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendumento, para que experimentais qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." Romanos 12.2
Logo que alguém toma o passo de oferecer o corpo ao Todo-Poderoso como sacrifício vivo, algo acontece em seu pensamento. Não se pensa mais como o mundo, naõ se tem mais a mente egoísta daqueles que não têm Deus. Eles pensam: "Se eu fizer isso, o que ganharei? Se eu realizar tal coisa, receberei um aumento? Serei promovido? As pessoas gostarão de mim?". É tudo centrado no eu. Contudo, a mente renovada possui Deus comoc entro. Os servos do Altíssimo ponderam: "Isso glorifica o Senhor? É esse o propósito do Pai celeste em minha vida?"
De acordo com o apóstolo, quando temos a mente renovada, podemos conhecer a vontade do Senhor. O Criador não revelará o desígnio dEle até que haja um comprometimento. A obediência leva Pa renovação da mente. com isso, você pode conhecer a vontade divina e descbrir o caminho que Ele tem para sua vida.
Na maioria dos casos, o caminho de Deus não será o mesmo que você planejou. O diabo continuará sussurrando em seu ouvido que o caminho do Senhor será triste e difícil, que você passará a vida lavando louça ou vivendo em algum lugar no deserto. Pode até ser verdade, mas, provavelmente, não será assim. Contudo, você nunca saberá isso sem ter assumido o compromisso.
O resultado dessa entraga física ao Senhor será igual ao de jesus. Houve cinco respostas a essa decisão na vida de Cristo, e é possível antecipar que você terá as mesmas coisas quando entregar seu corpo e sua vontade ao Senhor.
1. Houve restauração física sobrenatural. Jesus não ficou limitado à Sua própria força física, nem você ficará, se estiver comprometido com a vontade do Altíssimo;
2. Houve uma visão adequada. Jesus via as coisas da maneira de Deus. Assim será com você quando estiver comprometido com a vontade do Pai;
3. Houve justo juízo ou discernimento correto. Jesus nunca foi ingênuo ou enganada as coisas como realmente eram.
4. O Mestre tornou-Se um canal de vida para um mundo agonizante. Da mesma forma, você e eu podemos ser abençoadores quando estivermos comprometidos com a vontade divina;
5. Jesus disse: "Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer" (Jo 17.4). Se nos submetermos à vontade do Pai e a realizarmos de todo o coração, também seremos capazes de glorificar a Deus na terra.
Quando você render totalmente seu corpo e sua vontade ao Senhor, abrindo mão de qualquer pedido de retomada de controle, glorificará o Altíssimo e encontrará paz profunda e satisfação epssoal em seu espírito. Descobrirá um novo propósito à medida que Deus revelar o querer dEle para sua vida".

FONTE: PRINCE, Derek. A vontade de Deus para a sua vida. Rio de Janeiro: Graça, 2010. p. 45 à 49.